Jogo on-line de Páscoa

Alfabeto Móvel de Tampinhas

 Atividades com alfabeto móvel são ótimas oportunidades para as crianças colocarem em jogo todos os conhecimentos que construíram acerca da construção do sistema alfabético de escrita. Nesse momento o mais importante é que as informações sobre o sistema de escrita circulem livremente entre os alunos.






Entrevista com Telma Weisz



Alfabeto Móvel

Em tempos de RRR (Reduzir, Reutilizar, Reciclar) e diante da necessidade premente de se alfabetizar de um ponto de vista construtivista, a utilização de tampinhas plásticas para a construção de um alfabeto móvel é muito apreciável, além de ser muito divertido para as crianças.











Para a construção desse alfabeto utilizei vários tipos de tampinhas PET (refrigerantes, amaciantes, leite...). Retirei com palha de aço a escrita na parte superior e escrevi as letras em caixa alta com pincel atômico.

Ajude seu filho a ser uma pessoa melhor

Cinco dicas para seu filho crescer com uma elevada autoestima:
1ª) Sempre que puder, diga a seu filho o quanto ele é amado. Ainda que ele não tenha sido planejado, pense que ele não tem culpa disso e, como todo ser humano, precisa do seu amor e carinho em qualquer situação;
2ª) Avalie seu grau de exigência. Há pais que criam os filhos como se eles sempre estivessem devendo. Tome cuidado;
3ª) Evite colocar-se como modelo de perfeição. Os filhos crescerão com o sentimento de que nunca estarão à altura dos pais;
4ª) Cumpra sua missão de pai ou mãe, mas não transforme seus filhos em devedores emocionais. A paternidade e a maternidade responsáveis exigem o cumprimento de determinados deveres e o filho não tem culpa disso;
5ª) Elogie seu filho sempre que ele merecer. São palavras que, na hora certa, validam e dão todo o apoio que ele precisa para seguir adiante e tornar-se um adulto equilibrado e feliz.
(Fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar/auto_estima_filhos.htm)

Viagem Final de 2.009

Estação da Luz - SP, capital.Museu da Língua Portuguesa - SP, capitalMuseu da Língua Portuguesa - SP, capital As professoras (esquerda para direita) Rosa (Ciências), Gisele (Inglês) e Fernanda (Hist./Geo.)Instituto ButantãMeus alunos do 5º ano (esq. para dir.) Raphael, Isabela, Carlos Eduardo, Tiago e Caio.Aluna do 8º ano, Sofia. Nem só de cobras vive o Instituto Este sou eu, Prof. GilbertoPudemos também conhecer a História do Instituto Observar os instrumentos utilizados Ficamos sabendo também que o Instituto funciona em uma antiga fazenda No museu Microbiológico as crianças puderam observar estruturas celulares ao microscópio
E também analisar algumas formas virais e celulares em grande escala



Olha a maravilha que é a Mata Atlântica!

Leitura: uma boa oportunidade de ampliar seu vocabulário? II

Depois de continuar minhas leituras de hoje achei que seria interessante contribuir para uma ampliação vocabular dos possíveis leitores desse blog. Deem uma olhada, ou melhor, lida:
alavão: coletivo de ovelhas leiteiras
alhures: em outro lugar.
anátema: reprovação; maldição; excomunhão; condenação.
arguto: sagaz; astuto; capaz de perceber com rapidez coisas sutis.
armento: coletivo de gado grande (búfalos)
assestar: pôr na direção de.
atilho: coletivo de espigas de milho
belchior: comerciante de objetos velhos, usados.
boana: coletivo de peixes miúdos
cabido: coletivo de cônegos
camarilha: coletivo de bajuladores
cãs: cabelos brancos.
catarse: purificação.
ceceio: ato de trocar letras durante a fala, geralmente ç ou ss por z.
chancelar: ratificar; rubricar; selar; aprovar.
chusma: coletivo de pessoas, coisas em geral
ciciar: dizer em voz baixa, segredar.
consistório: coletivo de cardeais junto ao papa
conspícuo: ilustre, notável.
defenestrado: atirado pela janela.
destarte: dessa forma.
dirigismo: teoria economica e financeira que preoconiza a direção do Estado em tudo.
efeméride: comemoração de um fato.
epíteto: alcunha; apelido; nome pelo qual algo ou alguém é conhecido.
escrutínio: contagem de votos em urna, exame minucioso.
establishment: grupo sociopolítico que exerce sua autoridade; ordem estabelecida; sistema.
faina: trabalho prolongado.
farândula: coletivo de maltrapilhos
fato: coletivo de cabras
foliculário: escritor de folhetos.
garbo: elegância.
girândula: coletivo de fogos de artifício
higroscópico: Adjetivo do que tem a tendência para absorver a umidade do ar.
hipérbole: em Líng. Port. é o recurso linguístico usado em figura de estilo para exagerar uma ideia. 
homiziar: fugir da justiça
ilharga: parte lateral inferior do abdome.
lôbrego: triste, soturno.
malta ou caterva ou choldra: coletivo de desordeiros, bandidos, malfeitores
manu militari: (mão militar) aquele que impele o cumprimento de uma ordem com ajuda militar.
melífluo: que corre como mel, voz doce ou agradável.
mu: o mesmo que mulo ou macho.
mujique: camponês russo.
otomana: divã ou canapé, tecido para vestuário de senhoras.
panapaná: coletivo de borboletas
plantel: coletivo de animais de raça, ou atletas
pragmático: objetivo, direto, eficiente, prático.
praxe: costume; prática usual.
prelatura: coletivo de bispos
récua: coletivo de animais de carga
sine qua non: (expressão latinha) condição indispensável
súcia: coletivo de pessoas desonestas
tertúlia: coletivo de amigos, parentes
veleidade: capricho, fantasia, imprudência.
vetusto: muito velho, antigo, respeitável pela idade, obsoleto.
vitriólico: que tem a natureza do vitríolo; sulfúrico; ácido.
voucher: documento contabilístico que representa uma intenção interna para fazer um pagamento a uma entidade externa.

Leitura: uma boa oportunidade de ampliar seu vocabulário? I

Desde meus mais tenros momentos acadêmicos ouço a frase: "leia tudo, mesmo que seja bula de remédio, isso amplia seu vocabulário!" Sempre procurei fazer isso e difundir essa ideia por aí. Amante da boa leitura como sou, gosto e me interesso muito por revistas (leio e recomendo a SuperInteressante, da editora Abril) hoje peguei uma revista mais jovem, destinada ao público "teen" feminino e para minha surpresa ou não já estou na página 108 (ela tem 170 páginas) e não encontrei nem uma palavra nova, uma palavra que despertasse meu interesse em querer procurar no dicionário. Melhor dizendo, tirando palavras expressões em inglês como "in-betweens, check-in, make underground e um modus operandi perdido por lá", encontrei a palavra "quetais". Depois de abrir vários dicionários físicos e outros virtuais, incluindo uma google pesquisa, não encontrei definição exata, apenas um fórum em que alguém dizia que havia sido digitado errado e que na verdade seria "que tais". Mandei um e-mail para a revista, diga-se de passagem, tem o nome em inglês, estou aguardando resposta, depois posto aqui qual foi. Mas, o cerne de meu questionamento é: com uma tiragem de 200 mil exemplares mensais contra 600 mil do dicionário Aurélio que é publicado de vez em quando, esse não seria um bom caminho para uma introjeção de palavras mais bem elaboradas entre os jovens do que apenas: tipo assim, e aí cara, aí mano...

Não tenho speedy

Bom, estou há um bom período tentando postar umas fotos da última viagem que fiz com meus alunos do Colégio Objetivo, porém sem sucesso. Desde quando consegui uma linha telefônica no plano de expansão da rede não pude ser atendido com minha solicitação de acesso a internet. Quer dizer, minha linha telefônica é da categoria sem fio, aquela de caixinha, inicialmente desenvolvida para áreas rurais. O que acontece é que quem tem esse tipo de linha telefônica não pode ter serviços como internet, fax, identificador de chamadas e outros itens, mas claro, a taxa de assinatura é a mesma de qualquer outra linha. Enfim, sempre que entro em contato com a telefônica demonstrando interesse por speedy sou informado que para meu endereço não há disponibilidade, aí digo qual é a minha linha telefônica e me vem a resposta: o serviço de internet não está disponível para esse tipo de tecnologia. Assim, procurei um serviço de internet via rádio, muito bom, consigo fazer quase tudo: baixar músicas, vídeos, fazer pesquisas... apenas postagens mais pesadas - como fotos ou vídeos - tenho dificuldade em realizar. Quero registrar aqui meus protestos contra uma companhia injusta que reluta há 7 anos em me oferecer um serviço de melhor qualidade. Provavelmente solicitarei o desligamento de meu telefone nos próximos dias... falar ao celular está saindo mais barato e mais cômodo.

IV Halloween do Colégio Objetivo


Entrada da festa.

Uma bruxinha simpática demonstrava como seria a festa.

Olha que graça ficaram as bruxinhas feitas com abóboras!

Os convidados foram recepcionados nada mais, nada menos que pela Senhora Morte, muito sugestivo, visto que todos estavam indo a um velório.

Para poder participar da festa todos tinham que passar pelo velório.

Este ano nos rendemos a decoração com teias de aranhas. Todas feitas com sacos de lixo.

Este sou eu, um dos responsáveis pela decoração da escola.

As crianças se divertiram muito na festa. Pena que o vídeo que gravei está mal iluminado, mas dá para sentir como as crianças estavam curtindo a festa.
video